quinta-feira, 01 de dezembro de 2022

Sessões Plenárias:
Terças e quintas-feiras: 15h

Horário de atendimento
Seg. a quinta: 08h às 12h e das 13h30 às 17h30.
Sexta-feira: 07:30 às 13:30

Telefone: (55) 3220-7200
E-mail: assessoriapresidencia@camara-sm.rs.gov.br

Mesa Redonda da 1ª Semana Municipal da Não-Violência contra a pessoa idosa lota o plenário do Legislativo


  • 16/06/2010
Compartilhe:

Nesta quarta-feira (16), o plenário do legislativo foi palco da Mesa Redonda “A violência invisível contra a pessoa idosa”, que faz parte da programação da 1ª Semana Municipal da Não-Violência Contra a Pessoa Idosa. A semana foi criada a partir da Lei Municipal nº 5222/2009, cuja proponente foi a vereadora Sandra Rebelato.
A mesa redonda foi composta por representantes da Delegacia de Proteção ao Idoso de Santa Maria, do Centro de Referência Especializado de Assistência Social, de Entidades Asilares Filantrópicas e por profissionais da área da saúde e educação que lidam com o problema da violência contra o idoso.
Pelo viés da educação, a professora Carmem Maria de Andrade, doutora em psicologia da vida adulta e envelhecimento humano, falou que a convivência sadia com idosos é um ato educativo, um compromisso que deve ser firmado por cada cidadão.
Outra questão importante abordada foi a saúde. A professora e enfermeira Martha Souza falou sobre os danos à saúde do idoso que a violência pode acarretar. Ela trouxe dados alarmantes sobre este ponto: somente em 2005, 17.581 idosos morreram vítimas de violência ou acidentes no Brasil.
A professora Rosane Janczura, assistente social, falou em nome do Centro de Referência Especializado de Assistência Social, explicando diferentes definições de violência, mostrando vídeos sobre o envelhecimento e esclarecendo qual é o papel do poder público na busca da melhoria de vida das pessoas com mais de sessenta anos.
Os três presidentes das Entidades Asilares Filantrópicas de Santa Maria – Sérgio Severo de Medeiros (Lar das Vovozinhas), Teltz Cardoso Farias (Abrigo Espírita Oscar Phitan) e Luiz Fernando Cechella (Asilo Vila Itagiba) – mostraram a realidade de centenas de velhinhos que foram abandonados por seus familiares e dependem de recursos públicos para sua sobrevivência. De acordo com Teltz Cardoso, as verbas públicas enviadas aos abrigos são irrisórias em comparação com os gastos necessários para manutenção dos lares, e aproveitaram a oportunidade para solicitar o apoio do Município.
Já o inspetor de Polícia Arthur Cordenuzzi Neto trouxe ao debate aspectos legais em relação aos cuidados com idosos, explicando as obrigações legais dos responsáveis previstas no Estatuto do Idoso. Ele também trouxe fotos de casos investigados pela Delegacia de Proteção ao Idoso, expondo que o nível de violência contra pessoas com mais de 60 anos está alto em Santa Maria: só em 2009, 618 ocorrências foram registradas, sendo que a maioria dos casos são de violência doméstica.
A mediadora do debate, profª Idenéia Silveira dos Santos, encerrou a discussão com uma citação de Bertold Brecht, sugerindo a mudança de pensamento em relação ao envelhecimento:

Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo. E examinai, sobretudo, o que parece habitual. Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente,de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural nada deve parecer impossível de mudar.

Ainda no final do evento, a vereadora Sandra Rebelato leu uma proposta de destinação fixa de verbas do Município para o Lar das Vovozinhas.



Texto: Gabriela Loureiro
Fotos: Milena Jaenisch / Gabriela Loureiro


Links Úteis

Dúvidas, reclamação ou sugestão?

Entre em contato!